Uma visão dos nossos históricos anos sessenta e um pouco antes

Voltar  para  Página Inicial

Ir  para  "Lendas e histórias"

Pilotos:
Agnaldo de Goes Aldo Costa Alfredo Santilli Amauri Mesquita Antonio C. Aguiar Arlindo Aguiar Aroldo Louzada Bica Votnamis
Bird Clemente Bob Sharp Breno Fornari Caetano Damian Camillo Christofaro Carlos Sgarbi Catharino Andreatta Celso L. Barberis
Christian Bino Heins Ciro Cayres Domingos Papaleo Eduardo Celidonio Emerson Fittipaldi Emilio Zambelo Ênio Garcia Eugênio Martins
Francisco Lameirão Fritz D'Orey Graziela Fernandes Haroldo Vaz Lobo Henrique Casini Jan Balder Jayme Pistili Jayme Silva
José Tôco Martins Júlio Andreatta Luiz A. Margarido Luiz Carlos Valente Luiz Pereira Bueno Luiz Valente Marinho Nicola Papaleo
Nilo de Barros Vinhaes Norman Casari Orlando Menegaz Nastromagario Pedro C. Pereira Piero Gancia Raphael Gargiulo Ricardo Rodrigues de Moraes
Roberto Gallucci Roberto Gomez Salvador Cianciaruso Toninho Martins Victorio Azzalin Vitório Andreatta Waldemar Santilli Zoroastro Avon
Preparadores e/ou construtores:
Anísio Campos Jorge Lettry Miguel Crispim Nelson Brizzi Toni Bianco Victor Losacco    
Pioneiros:
Ângelo Juliano Benedicto Lopes Chico Landi Chico Marques Gino Bianco Hermano da Silva Ramos Irineu Correa João R. Parkinson
Manuel de Teffé Nascimento Junior Norberto Jung Sylvio A. Penteado Villafranca      

 

Página acrescentada em 16 de fevereiro de 2005.

Bob Sharp
(Robert Amaral Sharp)
por Paulo Roberto Peralta
 
   

Nasceu no bairro da Gávea, no Rio de Janeiro, em 14 de novembro de 1942, e lá passou a infância e juventude, ainda criança, assistindo provas do "Trampolim do Diabo" no Circuito da Gávea, tornou-se fã do automobilismo.
A partir dos anos 1959/60 uma nova geração de pilotos se iniciava no automobilismo coincidindo com a nacionalização dos carros de corrida no Brasil, os automóveis "made in Brasil" começavam a correr e a vencer, principalmente nas mãos dos jovens, mas também dos não tão jovens assim (Chico Landi e outros) pilotos brasileiros. Bob Sharp fez parte desta nova geração, não chegou a correr de carretera, mas correu contra, até 1971 quando Camillo Christofaro aposentou sua famosa "18". Estreou nas competições automobilísticas em 1962 com 19 anos, ainda estudante, na prova "6 Horas da Barra da Tijuca" com VW 1200cc., mas não foi bem, abandonou por quebra do motor.

O DKW reestilizado - Vejam a traseira

Seu interesse e paixão eram tanto, que para a prova “II 12 Horas de Interlagos” em 1963 e já trabalhando na revenda Auto Central, concessionária que era a “base avançada” da Equipe Vemag no Rio, trocou correspondências com a empresa alemã “A.W. Mantzel und Sohn”, dedicada a preparação de motores dois-tempos, que lhe enviaram orientações, e junto com seu primo e parceiro Billy Sharp construíram um escapamento especial para o DKW que aumentava a potência. Mas não terminaram a corrida, pois após a quebra do pé da bomba de gasolina Billy parou na curva do Sargento e Ubaldo Cesar Lolli que competia com um FNM/JK, "reestilizou" a traseira do DKW, quebrando inclusive o tal escapamento. Ainda assim, depois de consertar a bomba de gasolina, tentaram continuar, mas o consumo aumentou muito e os gases do escapamento quebrado entravam na cabine tornando impossível prosseguir, então desistiram.
Alguns anos mais tarde ingressou na Vemag como inspetor de Serviços, de onde saiu em maio de 1967 para se tornar sócio dos irmãos Eduardo e Maurício Ribeiro na Cota, oficina autorizada Vemag, comprada no mês anterior de Norman Casari e Mauro de Sá Motta Filho.
Eles ficaram com a concessionária até 1978 quando a venderam, já com bandeira Volkswagen. Coincidentemente Bob acabara de se separar e partiu então para São Paulo onde foi trabalhar na Diretoria Comercial da Fiat Automóveis, em São Bernardo do Campo, ficou lá até 1983 passando em seguida para a Volkswagen.
Correu com DKW Vemag até 1964 só retornando em 1967 quando participou dos Campeonatos Carioca e Brasileiro da nova categoria Fórmula Vê 1200cc., em dezembro fez a ultima prova e em abril de 1968 voltou a correr com o DKW na prova “IV Mil Quilômetros de Brasília”, correu o ano inteiro com esse carro.

1967 IV Etapa Camp. Brasileiro F-Vê com Servi Vê

1968 - II Etapa Camp. Carioca 1968 - Abandono

Bob Sharp foi professor de mecânica no curso de pilotagem Santa Fúria, fundado em 1968.

1969 - O DKW de plástico

No início de 1969, Sharp e o seu sócio na Cota, Eduardo Ribeiro, resolveram aumentar o desempenho do DKW reduzindo seu peso, como já trabalhavam bastante com fibra de vidro, pois comercializavam e davam manutenção aos carros GT Malzoni e Puma DKW, reproduziram então todos os painéis da carroceria com esse material, da carroceria original de aço estampado ficou apenas o assoalho, as colunas e a parede corta fogo. O carro ficou bem leve, 630 kg, contra os 945 kg do original, ficou conhecido na época como o “DKW de Plástico”. Foi usado durante o ano inteiro e no final do ano desmontado (a fibra já estava muito remendada), recolocada a carroceria original e vendido, a de plástico foi embora num caminhão de sucata.

1970 - Casari A1/Ford - Brasília

Em 1970 correu com o protótipo Casari/Ford A-1 da “Equipe Casari/Brahma” na prova “VI Mil Quilômetros de Brasília”, depois correu com Chevrolet Opala a “IV 24 Horas de Interlagos”, em dupla com Aureliano Machado e quando Bob estava ao volante, abriu o capô do carro pouco antes da curva 1 (circuito antigo) e teve que fazer uma volta inteira para chegar aos boxes onde retiraram o capô para poder continuar na prova, mas uma quebra do sub-chassi dianteiro fez perderem muito tempo no box para trocá-lo, causando um atraso que resultou apenas na 22° posição (pelo número de voltas), participou de uma prova do Campeonato carioca de subida de montanha na serra Rio-Petrópolis com um Volkswagen, e, novamente com o protótipo Casari/Ford A-1, correu a “X Mil Milhas Brasileiras”, quase um ano depois com o mesmo carro teve um acidente na "II Etapa do Torneio Sulamericano" em Interlagos.
"- Ainda na primeira volta, quando comecei a fazer a curva da subida do lago rumo à reta oposta (circuito antigo, claro), o carro deu traseirada inesperada, tentei corrigir, mas não pude evitar que atingisse forte o guard-rail, de lado. Meu maior medo na hora foi incêndio, pois o tanque ficava ao meu lado. Felizmente não aconteceu. Saí do carro com dores no tórax, nas costelas..." (*)
Após participou também do “Torneio Nacional Ford Corcel”, realizado pela Ford para lançar o carro Corcel, com carros iguais sorteados entre os pilotos, uma prova em Interlagos e outra em Jacarepaguá/RJ.
Já na “200 Milhas de Interlagos” de 1973, correndo de Chevrolet Opala em dupla com José Carlos Ramos, por volta da metade da corrida tiveram o cambio quebrado ficando só com a 4ª marcha, nas paradas o carro tinha que ser empurrado para ganhar embalo, mesmo assim terminaram em 5º Lugar.

1970 - IV 24 Horas de Interlagos, abertura do capô

1973 - 25 Horas de Interlagos 1974 - VII Mil Km de Brasília

"- Fizemos mais quatro provas com o Opala até o final daquele ano. Ainda corremos eu e o José Carlos na Mil Quilômetros de Brasília, em março de 1974, com outro Opala, agora 250-S, e eu com o Jan e o Fausto Dabbur na II 25 Horas de Interlagos, em maio." (*)
Correu com Chevrolet Opala até meados de 1974 quando passou para o Ford Maverick com que ficou até 1977.
"- No começo de julho de 1974 o Luiz Antônio Greco me telefonou, para o Rio, convidando-me a pilotar para a Ford. Seria já para a 12 Horas de Goiânia no dia 28 de julho, prova de inauguração do belo autódromo da cidade.
Como eu não tinha nenhum compromisso com a GM, muito menos qualquer ajuda, aceitei o convite, fora que me dava bem há anos com o Greco, sua família e seus pilotos."
(*)
Outra dificuldade aconteceu na disputa da “IX 12 Horas de Porto Alegre” em 1976, prova que valia a 5ª e última etapa do Campeonato Brasileiro de Turismo Divisão 1, correndo com Ford Maverick V8 em dupla com Arthur Bragantini, eram um dos favoritos, mas na prova devido aos pneus de baixa qualidade tiveram que fazer 11 paradas para troca de pneus, mesmo assim conseguiram um 12º lugar e com o resultado sagrou-se o campeão na Divisão 1 Classe C (acima de 2.000cc)

1974 - 12 Horas de Goiânia 1976 - MaverickDiv3 com que Bob Sharp foi Campeão Brasileiro  da categoria 1978 - Fiat 147 1978 - Primeira prova e vitória no Camp. Bras. Fiat 147

"- Um bom amigo do Rio, Nélson Silva, com o irmão e o pai, tinham uma concessionária Fiat, chamava-se PST Veículos. Era 1978 e o Fiat 147 ainda era novidade, fora lançado em setembro de 1976. Um dia o Nélson me telefonou dizendo que ia correr de Fiat 147 e queria algumas dicas para melhorar o carro, alinhamento, carburação, essas coisas de carro que vai para a pista. Fui, mas na condição de ter um carro para mim pilotar também.
O desdobramento desse episódio foi que venci a corrida e recebi um convite para trabalhar na Fiat, na Diretoria Comercial que ficava em São Bernardo do Campo, onde estava a área de pós-venda. Fui contratado como representante para cuidar do controle operacional da rede Fiat, no setor de assistência técnica."
(*)

1985 - Mil Quilômetros de Interlagos 1986 - 3 Horas de Interlagos

Depois que foi trabalhar na Fiat Automóveis passou a correr com o Fiat 147 e fez a temporada de 1978. Em 1980 fez apenas o “X Mil Quilômetros de Brasília”, em 1981 fez o “XI Mil Quilômetros de Brasília” e novamente em 1983 essa mesma prova, só retornando em 1985, já trabalhando na Volkswagen, na “Mil Quilômetros de Interlagos” com um Volkswagen Voyage quando se envolveu num acidente com Titonio Massa, e por ultimo a “3 Horas de Interlagos” em 1986 com um Volkswagen Passat,  chegando em 11º. Após essa prova abandonou definitivamente sua carreira de piloto automobilístico, aos 44 anos de idade e pai de um casal de filhos, nascidos no inicio dos anos 80, pouco antes dele encerrar sua carreira de piloto, que durou 24 anos.
Em provas longas dividiu o carro com pilotos do nível de José Carlos Pace, Marivaldo Fernandes, Paulo Gomes, Jan Balder, para citar só alguns dos mais famosos. Venceu diversas delas: “1000 Quilômetros de Brasília” (2 vezes em 9 participações); “25 Horas de Interlagos”; “6 Horas de Interlagos”; ”12 Horas de Goiânia”, e várias outras.

2005

Sempre foi um piloto muito técnico e interessado, além de rápido, por isso a partir de 1977 começou a colaborar com o “Jornal do Brasil” e “O Globo”, ainda no Rio, em São Paulo começou a partir de 1982 a fazer testes e matérias para a revista Autoesporte e em 1984 assumiu a chefia do Departamento de Competições da VW, onde ficou durante cinco anos, para finalmente assumir seu lado "jornalista" em 1989 como editor técnico da revista Oficina Mecânica, passando depois a exercer o jornalismo automobilístico em revistas como: Quatro Rodas, Engenharia Automotiva e Aeroespacial da SAE Brasil e revistas sobre automóveis da Editora On Line, além do Best Cars Web Site e do site Auto Entusiastas.
Num programa de entrevistas na TV, Bird Clemente, outro "fera" do automobilismo, disse, depois de alguns elogios ao amigo e ex-piloto, que dos pilotos daquela safra,
"-...Sharp é o que tem a melhor memória, é uma verdadeira "enciclopédia" do automobilismo daquela época." (se referindo aos anos 60 e 70).


(*) Falas de Bob copiadas em artigos seus no site www.autoentusiastas.com.br.
 

Carreira de Bob Sharp (o que foi possível levantar)

xx/04/1962 - 6 Horas da Barra - Barra da Tijuca/RJ - VW Sedan - 1200cc - AB  Quebra de motor
25/01/1963 - 12 Horas de Interlagos/SP - Com Billy Sharp - DKW Vemag nº 95 - 981cc -
AB
01/09/1963 - 3 Horas de Velocidade Interlagos/SP - DKW Vemag nº 95 - 981cc - ND
12/04/1964 - Campeonato Carioca - II Etapa - Ilha do Fundão/RJ -
DKW Vemag nº 11 - 981cc - AB

28/05/1967 - Campeonato Carioca de F-Vê  I Etapa - Jacarepaguá/RJ - Aranae-Vê - 1192cc -
3º Lugar
18/06/1967 - Campeonato Brasileiro F-Vê  II Etapa - Jacarepaguá/RJ - Aranae-Vê - 1192 -
5º Lugar
13/08/1967 - Campeonato Brasileiro F-Vê  III Etapa - Interlagos/SP - Fitti-Vê - 1192cc - 10º Lugar
08/10/1967 - Prova Extra-Campeonato - Jacarepaguá/RJ - Fitti-Vê - 1192cc -
8º Lugar
15/10/1967 - Campeonato Carioca F-Vê  II Etapa - Niteroi/RJ - Fitti-Vê - 1192cc - 3º Lugar
10/12/1967 - Campeonato Carioca F-Vê  III Etapa - Jacarepaguá/RJ - Fitti-Vê - 1192cc -
Desclassif. (irregularidade mecânica)
17/12/1967 - Campeonato Brasileiro F-Vê  IV Etapa - Jacarepaguá/RJ - Servi-Vê - 1192cc - AB
17/12/1967 - Prova de F-Vê - Extra Campeonato - Jacarepaguá/RJ - Fitti-Vê - 1192cc -
3º Lugar
14/04/1968 - IV Mil Quilômetros de Brasilia/DF - Eixo Monumental - Com Araken Gomes - DKW Vemag - 981cc - AB
12/05/1968 - Campeonato Carioca - II Etapa - Jacarepaguá/RJ - DKW Vemag nº 40 - 981 cc -
6º Lugar
30/06/1968 - I 500 Milhas da Guanabara/RJ - Jacarepaguá - Com Araken Gomes - DKW Vemag nº 40 - 981cc - 19º Lugar
xx/xx/1968 - Campeonato Carioca - III Etapa - Jacarepaguá/RJ - DKW Vemag - 981cc
- 6º Lugar
15/09/1968 - Campeonato Carioca - IV Etapa - Jacarepaguá/RJ - DKW Vemag - 981cc - 10º Lugar
29/09/1968 - 250 Milhas do Rio de Janeiro - Jacarepaguá/RJ - Com Araken Gomes - DKW Vemag - 981cc -
8º Lugar
xx/xx/1969 - Prova Duque de Caxias - Jacarepaguá/RJ - DKW Especial - 6º Lugar
24/04/1969 - V Mil Quilômetros de Brasilia/DF - Eixo Monumental - Com Eduardo Ribeiro - DKW Especial -
10º na geral e 5º na cat. PT
xx/xx/1969 - Campeonato Carioca - III Etapa - Jacarepaguá/RJ - DKW Vemag - 4º Lugar
19/04/1970 - VI Mil Quilômetros de Brasilia/DF - Eixo Monumental - Com Milton Amaral - Casari A1/Ford nº 96 - 4440cc -
PT  AB
24/05/1970 - IV 24 Horas de Interlagos/SP - Com Aureliano Machado - Chevrolet Opala nº 76 - 4098cc - 22º Lugar
22/11/1970 - X Mil Milhas Brasileiras - Interlagos/SP - Com Milton Amaral - Casari A1/Ford nº 97 - 4440cc -
PT  AB
18/12/1971 - II Etapa do Torneio Sulamericano - Interlagos/SP Casari A1/Ford - 4440cc - Acidente
09/07/1973 - 500 Quilômetros de Interlagos/SP - Chevrolet Opala - 4098cc -
5º Lugar
26/08/1973 - 25 Horas de Interlagos/SP - Com Jan Balder/José Carlos Ramos - Chevrolet Opala nº 7 - 4098cc - 2º Lugar
28/10/1973 - 200 Milhas de Interlagos/SP - Com José Carlos Ramos - Chevrolet Opala - 4098cc -
5º Lugar
Terminou com o cambio quebrado, desde a metade da prova só com a quarta marcha
08/12/1973 - XI Mil Milhas Brasileiras - Interlagos/SP - Com Jan Balder - Chevrolet Opala - 4098cc -
Div.3  4º Lugar
25/05/1974 - II 25 Horas de Interlagos/SP - Chevrolet Opala - 4098cc - AB  14ª volta
31/03/1974 - VII Mil Km de Brasília Brasília/DF -
Autódromo - Com Jan Balder/José Carlos Ramos - Chevrolet Opala - 4098cc - 13º Lugar
28/07/1974 - 12 Horas de Goiânia/GO - Com Marivaldo Fernandes - Ford Maverick - 4950cc - 1º Lugar
20/04/1975 - XI Mil Km de Brasilia/DF -
Autódromo - Com Edgard de Mello Filho - Ford Maverick nº 5 - 4950cc - 1º Lugar
14/09/1975 - 1ª Etapa do Torneio Sulamericano de Maverick - Interlagos/SP - Ford Maverick  - 2301cc - 8º Lugar
Estas duas provas foram disputadas com carro fornecido pela Ford (Maverick 4 cilindros) igual para todos.
21/09/1975 - 2ª Etapa do Torneio Sulamericano de Maverick - Brasilia/DF - Ford Maverick - 2301cc - 4º Lugar
12/10/1975 - 12 Horas de Tarumã/RS - Com Edgard de Mello Filho - Ford Maverick - 4950cc -
2º Lugar
13/12/1975 - 25 Horas de Interlagos/SP - Com José Carlos Pace/Paulo Gomes - Ford Maverick nº 22 - 4950cc - 1º Lugar
25/04/1976 - XII Mil Quilômetros de Brasília/DF - Brasileiro Div.1
- 1ª Etapa - Autódromo - Com Paulo Gomes - Ford Maverick nº 5 - 4950cc - 1º Lugar
06/06/1976 - Brasileiro Div.1 - 2ª Etapa - Cascavel/PR - Com Eduardo Celidonio - Ford Maverick 4.950cc nº 22 - 2º Lugar
04/07/1976 - 6 Horas de Interlagos/SP - Com Arthur Bragantini - Ford Maverick nº 22 - 4950cc - 1º Lugar
25/07/1976 - 12 Horas de Goiânia/GO - Com Arthur Bragantini - Ford Maverick nº 22 - 4950cc - 7º Lugar
10/10/1976 - IX 12 Horas de Porto Alegre/RS - Tarumã - Com Arthur Bragantini - Ford Maverick nº 22 - 4950cc - 12º Lugar
13/11/1976 - Campeonato Brasileiro Div.3 - Interlagos/SP - Ford Maverick - 4950cc -
1º na geral e 1º Classe B
19/03/1978 - Campeonato Brasileiro Fiat 147 - Div.1 - Jacarepaguá/RJ - Fiat 147 - 1297cc - 1º Lugar
xx/04/1978 - Campeonato Brasileiro Fiat 147 - Div.1 - Interlagos/SP - Fiat 147 - 1297cc -
ND
30/04/1978 - Campeonato Brasileiro Fiat 147 - Div.1 - Jacarepaguá/RJ - Fiat 147 - 1297cc - 1º Lugar
16/07/1978 - Torneio Rio-São Paulo - Div.1- Interlagos/SP - Fiat 147 - 1297cc -
3º Lugar
31/08/1980 - X Mil Quilômetros de Brasilia/DF -
Autódromo - Com Nelson Silva - Fiat 147 - 1297cc - 16º na geral e 8º na cat.
07/09/1981 - XI Mil Quilômetros de Brasilia/DF
- Autódromo - Com Giuseppe Marinelli/Giuseppe Cavina - Fiat 147 - 1297cc - 18º na geral e 5º na cat.
04/09/1983 - XIII Mil Quilômetros de Brasilia/DF
- Autódromo - Com Ricardo Soares Oliveira - Fiat Oggi - 1297cc - AB (problemas mecânicos)
01/12/1985 - 1000 Quilômetros de São Paulo - Interlagos/SP - Com Ronaldo Berg - Volkwagen Voyage - AB (Acidente)
21/12/1986 - 3 Horas de Interlagos - Interlagos/SP - Com Ronaldo Berg - Volkswagen Passat -
11º Lugar


VOLTAR AO TOPO DA PÁGINA
ou
VOLTAR À PÁGINA INICIAL