Uma visão dos nossos históricos anos sessenta e um pouco antes

Voltar  para  Página Inicial

Ir  para  "Lendas e histórias"

Pilotos:
Agnaldo de Goes Aldo Costa Alfredo Santilli Amauri Mesquita Antonio C. Aguiar Arlindo Aguiar Aroldo Louzada Bica Votnamis
Bird Clemente Bob Sharp Breno Fornari Caetano Damian Camillo Christofaro Carlos Sgarbi Catharino Andreatta Celso L. Barberis
Christian Bino Heins Ciro Cayres Domingos Papaleo Eduardo Celidonio Emerson Fittipaldi Emilio Zambelo Ênio Garcia Eugênio Martins
Francisco Lameirão Fritz D'Orey Graziela Fernandes Haroldo Vaz Lobo Henrique Casini Jan Balder Jayme Pistili Jayme Silva
José Tôco Martins Júlio Andreatta Luiz A. Margarido Luiz Carlos Valente Luiz Pereira Bueno Luiz Valente Marinho Nicola Papaleo
Nilo de Barros Vinhaes Norman Casari Orlando Menegaz Nastromagario Pedro C. Pereira Piero Gancia Raphael Gargiulo Ricardo Rodrigues de Moraes
Roberto Gallucci Roberto Gomez Salvador Cianciaruso Toninho Martins Victorio Azzalin Vitório Andreatta Waldemar Santilli Zoroastro Avon
Preparadores e/ou construtores:
Anísio Campos Jorge Lettry Miguel Crispim Nelson Brizzi Toni Bianco Victor Losacco    
Pioneiros:
Ângelo Juliano Benedicto Lopes Chico Landi Chico Marques Gino Bianco Hermano da Silva Ramos Irineu Correa João R. Parkinson
Manuel de Teffé Nascimento Junior Norberto Jung Sylvio A. Penteado Villafranca      

 

Página acrescentada em 12 de março de 2005.
  
Zoroastro Avon
por Paulo Roberto Peralta
 

Zoroastro em 2005

Nasceu em São João da Boa Vista, interior de São Paulo, no dia 3 de dezembro de 1928.

Família Avon em São João da Boa Vista (SP), Zoroastro é o mais alto dos filhos (+/- 1937)

Na Lambretta que participou da 6 Horas de Motonetas

Morava no bairro da Aclimação em São Paulo, era engenheiro, e começou a trabalhar na Simca do Brasil como piloto de teste tão logo ela se instalou no Brasil, subia e descia a estrada velha de Santos “no gás” e foi se apaixonando pelo automobilismo esportivo
No inicio dos anos 60 teve sua única experiência em competições de motocicletas, foi nas “6 Horas de Motonetas”, em Interlagos, quando correu com uma Lambreta ST, não foi bem e nunca mais repetiu a experiência, até que no ano de 1960 com 32 anos, estreou nas pistas de corridas, com apoio da fábrica foi direto na prova “I 24 Horas de Interlagos” (não havia a obrigatoriedade de fazer provas de estreantes) em dupla com Waldemyr Costa, foram 5º lugar na geral, com um Simca, naturalmente! Muito bom para um estreante.
Ano seguinte, lá estava ele de novo, com o mesmo parceiro, o mesmo carro e novamente tiraram um 5º lugar na geral, depois de três paradas no box para trocar uma polia.
“Zoroastro Avon, entre os valores novos se destaca como dos mais promissores. Seu problema para correr é o carro e provem claramente de motivos financeiros... Avon é piloto de provas da Simca e um dos grandes apaixonados pelo automobilismo esportivo, vive em função dele.” (4 Rodas - 09/1961).
Sobre a prova "II 24 Horas de Interlagos" de 1961, numa revista da época lemos o seguinte texto:
"...Ele passou em frente aos boxes emparelhado com um JK ... Nas retas o JK sempre tirava uns 100m. de vantagem que o Avon ia recuperar entrando "pendurado" nas curvas. Assim foram, o Simca na cauda do JK, até a curva do Sol. Foi então que o Avon deu tudo o que podia, entrou por fora e "alinhou os focinhos"... os carros derrapavam e largavam borracha na pista. O gesto de Avon foi mais impulsivo, acelerou tudo, ultrapassou para chegar na curva seguinte, a do Sargento a 145KM/h, olhando o JK pelo retrovisor. Entrou e saiu da curva de tal jeito que o piloto do JK desistiu do "pega."

1960 - I 24 Horas de Interlagos

1961 - II 24 Horas de Interlagos/SP

1961 - II 24 Horas de Interlagos/SP

   

Carretera DKW/Vemag, o mecânico do meio era seu irmão

1962 - Carretera DKW/Vemag  fazendo a curva do “Esse” na I 12 Horas de Interlagos

Correu com uma carretera DKW/Vemag (981cc) a prova "12 Horas de Interlagos" em janeiro de 1962 fazendo dupla com "Aquila", terminaram em  12° na geral e em 6° na cat. T-1.3
Ele trabalhava na equipe de teste e foi um dos maiores incentivadores para a formação da equipe oficial de corridas, o que acabou acontecendo no final de 1962, mas ele não era um dos pilotos oficiais, a fábrica apenas o apoiava nas corridas.
Em 1963 as vésperas da prova “II 12 Horas de Interlagos”, que correu em trio com Nelson Calabresi e Flavio Folla, ele confessou à reportagem que estava fazendo regime para não pesar muito durante a prova e assim tentar um bom resultado, o que não aconteceu, chegaram em 13º lugar na geral e 7º na cat. T+1.3 .

1963 - II 12 Horas de Interlagos

1963 - II 12 Horas de Porto Alegre (RS)


Depois dessa prova foi ao Rio Grande do Sul disputar a “II 12 Horas de Porto Alegre”, mas não foi bem, capotou e teve que desistir.
Foi um piloto “de marca”, sua preferida sempre foi a Simca, correu apenas três provas com carros de outra marca,
Não foi um vencedor, mas era um piloto lutador sempre disputava “roda-a-roda” qualquer posição, fosse na liderança ou no pelotão intermediário, isso marcou sua carreira.
Não correu no ano de 1964 inteiro e em 1965 fez uma extensa lista de participações, 7 provas, sendo que em duas correu em dois carros.
Como o regulamento não proibia, correu a prova “III 12 Horas de Interlagos” em dois carros Simca: o de nº 87 (em dupla com Roberto Galucci) e o de nº 88 (em quatro pilotos: Walter Hahn Jr./Expedito Marazzi/Roberto Galucci). O de nº 87 perdeu uma roda dianteira e só devido à habilidade do piloto não causou um acidente mais grave, substituída a roda voltaram à corrida, mas numa parada sua pela manhã um mecânico precipitado causou a quebra do dínamo, atrasando ainda mais o carro que terminou em 22º lugar, mas em 5º na sua categoria, no outro carro, o de nº 88 chegaram em 6º lugar na geral e em 2º na categoria.

1965 - Largada para GP Rodovia do Café no Paraná

Em agosto participou no Paraná do "I GP Rodovia do Café", circuito de estradas saindo de Curitiba até Apucarana e retornando à Curitiba com Simca Rallye transformado em carretera. Não foi nada bem, chegou em 40º na geral e 14º na cat. T+1.3 .
Encerrou o ano de 65 participando da "VII Mil Milhas Brasileiras" em dois carros diferentes, um Simca de 2.550 cc e num Gordini de 998 cc - Com o Simca foi 12º na geral e 8º na cat. TFL e com o Gordini foi 32º na geral e 15º na cat. T-1.3
Quando da volta da prova "24 Horas de Interlagos" em 1966 se inscreveu com o Simca Rallye n° 82 de 2.550cc em dupla com Eduardo Celidonio, na época ainda um piloto iniciante, mas que dois anos depois viria a vencer a "VIII Mil Milhas Brasileiras". Chegaram em 9° na geral.
Abaixo, a transcrição de uma matéria publicada em um jornal do dia 4 de setembro de 1966, dia da prova "V 3 Horas de Velocidade".
"Zoroastro Avon – O "pai feliz”, tem seis filhos: Harry, Ricardo, Roberto, Eilleen, Christian e Warren, casado com a sra. Genny Avon. É piloto de provas, comerciante e inspetor de controle de qualidade. Cursou o cientifico e quando estreou alcançou feito excepcional, foi 5° na classificação da prova “24 Horas de Interlagos” em 1960. Integrava a Equipe Simca e sua maior decepção foi sair dela quando estava evoluindo como volante de competição. Já dirigiu todas as marcas nacionais e espera continuar pilotando por mais 6 anos, quando pretende parar. Seu maior desejo no automobilismo é voltar a trabalhar na industria automobilística e formar uma equipe." (FSP - 04/09/1966)
Foi 9° na geral e 2° na cat. T+1.3.

1967 - Parados para averiguações indo para Pinhais (PR)

Em 1967 entre outras provas participou da inauguração do Autódromo de Pinhais no Paraná. Estavam vários corredores paulistas indo em comboio para a prova de inauguração do Autódromo de Pinhais (PR), mas entrando no estado do Paraná a Polícia Rodoviária parou todo mundo para averiguações,
Disputou provas até o ano de 1968, quando participou do “IV Mil Quilômetros de Brasília” ao lado de Jair Santiago, mas não concluíram a prova, uma falha mecânica os tirou da disputa.
Só voltou a competir em 1970 quando ao lado de Militão Mena disputou no Simca desse piloto a prova “250 Milhas de Interlagos” chegando em 10º lugar naquela que foi sua ultima corrida. Tinha 42 anos de idade.
Depois de morar uns tempos nos EUA voltou para o Brasil e em 1981, com 53 anos, estava inscrito na “XII Mil Milhas Brasileiras” ao lado de Roberto Avon, mas acabou não participando.

1994 - Zoroastro Avon

2002 - Em Curitiba posando para seus netos

Não o conheci pessoalmente, mas conversando com quem conviveu com ele fiquei sabendo, por exemplo, que na época que frequentava a Motomatic, oficina de Ruy Santiago, e já tendo saído da Simca, lá pelo ano de 1965 “mais ou menos”, tinha o apelido de “Zoravon Astro”, devido à sua postura: sempre elegante, gentil e educado, um verdadeiro “Lord”. Estava sempre de bom humor e era humilde, apesar de toda aquela aparência e de seu andar “dez pras duas”. Posteriormente, em 1992, o paulistano mudou-se para Curitiba, quando já estava em seu quinto casamento e havia se tornado comerciante. Mas ele ainda tinha muita gasolina nas veias com certeza.
Nos bastidores de uma prova no ano de 1994, em uma entrevista ao Luiz Alberto Pandini para a revista “Autoesporte” ele disse:
“- Automobilismo é como uma droga, vicia. Eu, aos 65 anos, ainda tenho vontade de acelerar. Muita vontade!”.

Morava em Curitiba (PR) desde 1992 e foi lá que recebeu sua bandeirada final, vitimado por uma doença faleceu em 6 de fevereiro de 2006 aos 77 anos.

 

Principais participações em provas (com a colaboração de Napoleão Ribeiro)

02/07/1960 - I 24 Horas de Interlagos - Com Waldemir Costa - Simca Chambord n° 7 - 2.432cc. - 5° na geral e 4° na cat. T+1.3
03/06/1961 - II 24 Horas de Interlagos/SP - Com Waldemir Costa - Simca Chambord n° 5 -
2.432cc. - 5° na geral e na cat. T+1.3
25/01/1962 - I 12 Horas Interlagos/SP - Com “Áquila” - DKW Vemag n° 17 - 981cc. - 12° na geral e 6° na cat. T-1.3
25/02/1962 - Prêmio Victor Losacco - Interlagos/SP - Simca Chambord n° 45 -
2.432cc. - Abandono
10/03/1963 - II 12 Horas de Interlagos/SP - Com Nelson Calabresi/Flávio Folla - Simca Chambord n° 52 - 2.432cc. - 13º na geral e 7º na cat. T+1.3
23/06/1963 - 12 Horas de Porto Alegre/RS - com José Cardoso - Simca Chambord n° 23 - 2.432cc.- Abandono
10/11/1963 - I 1500 Quilômetros de Interlagos/SP - Com Wilson Barbosa - Simca Chambord n° 52 - 2.432cc. -
Abandono
27/03/1965 - II 1600 Km de Interlagos/SP - Com Walter Hahn Jr. - Simca Rallye n° 88 - 2.550cc - 9º na geral e 3º na cat. TFL
26/04/1965 - III 12 Horas de Brasília/DF - Trampolim do Eixo - Com Ivo Noal - Simca Rallye n° 87 - 2.550cc -
15º na geral e 4º na cat. T+1.3
16/05/1965 - II 500 Km da Guanabara - Barra da Tijuca - RJ - Com Walter Hahn Jr./Expedito Marazzi - Simca Rallye n° 88 - 2.550cc. - Abandono
23/05/1965 - III 12 Horas de Interlagos/SP - Com Walter Hahn Jr./Expedito Marazzi/Roberto Galucci - Simca Rallye n° 88 -
2.550cc. - 6º na geral e 2º na cat. T+1.3
Participou desta prova em dois carros.
23/05/1965 - III 12 Horas de Interlagos/SP - Com Roberto Galucci - Simca Rallye n° 87 - 2.550cc. - 22º na geral e 5º na cat. T+1.3
08/08/1965 - V Circuito de Piracicaba/SP - Simca Rallye n° 87 - 2.550cc. -
10º na geral e 2º na cat. T+1.3
15/08/1965 - I G.P. Rodovia do Café - PR Curitiba/Apucarana/Curitiba - Simca Rallye n° 82 - 2.550cc. - 40º na geral e 14º na cat. T+1.3
27/11/1965 - VII Mil Milhas Brasileiras - Interlagos/SP - Com Claude Bernard e Edward Nahum - Simca Rallye n° 87 - 2.550cc.-
12º na geral e 8º na cat. TFL
Nesta prova participou em dois carros novamente.
27/11/1965 - VII Mil Milhas Brasileiras - Interlagos/SP - Com Jeff Gagá - Renault Gordini n° 88 - 998cc. - 32º na geral e 15º na cat. T-1.3
01/05/1966 - II Mil Km de Brasília/DF- Eixo Monumental - Com Carlos Whintaker - Renault 1093 n° 111 - 850cc. -
19º na geral e 11º na cat. T-1.3
28/05/1966 - III 24 Horas de Interlagos/SP - Com Eduardo Celidôneo - Simca Rallye n° 82 - 2.550cc. -
9° na geral e 5° Lugar na cat. T+1.3
03/07/1966 - Prêmio Aniversário ACESP - Interlagos/SP - Simca Rallye n° 52 - 2.550cc. -
8º na geral e 6º na cat. T+1.3
04/09/1966 - V 3 Horas de Velocidade - Interlagos/SP - Com Jair Santiago - Simca Rallye n° 90 - 2.550cc. -
9° na geral e 2° na cat. T+1.3
19/11/1966 - VIII Mil Milhas Brasileiras - Interlagos/SP - Com Lúcio Naja - Simca Rallye n° 27 - 2.550cc -
TFL - Abandono
22/10/1967 - 4 Horas de Curitiba/PR - Autódromo de Pinhais - Simca Rallye n° 82 - 2.550cc. - 8º na geral e 5º na cat. T+1.3
03/12/1967 - IX Mil Milhas Brasileiras - Interlagos/SP - Com Freddy O'Hara - Simca Rallye n° 82 - 2.550cc. -
11º na geral e 7º na cat. TFL
14/04/1968 - IV Mil Km de Brasília/DF - Eixo Monumental - Com Jair Santiago - Simca Rallye n° 82 - 2.550cc. - TFL - Abandono
09/08/1970 - 250 Milhas de Interlagos/SP - Com Militão Mena - Simca n° 52 - 2.550cc - 10º Lugar


VOLTAR AO TOPO DA PÁGINA
ou
VOLTAR À PÁGINA INICIAL