Uma visão dos nossos históricos anos sessenta e um pouco antes

Voltar  para  Página Inicial

Ir  para  "Lendas e histórias"

Pilotos:
Agnaldo de Goes Aldo Costa Alfredo Santilli Amauri Mesquita Antonio C. Aguiar Arlindo Aguiar Aroldo Louzada Bica Votnamis
Bird Clemente Bob Sharp Breno Fornari Caetano Damian Camillo Christofaro Carlos Sgarbi Catharino Andreatta Celso L. Barberis
Christian Bino Heins Ciro Cayres Domingos Papaleo Eduardo Celidonio Emerson Fittipaldi Emilio Zambelo Ênio Garcia Eugênio Martins
Francisco Lameirão Fritz D'Orey Graziela Fernandes Haroldo Vaz Lobo Henrique Casini Jan Balder Jayme Pistili Jayme Silva
José Tôco Martins Júlio Andreatta Luiz A. Margarido Luiz Carlos Valente Luiz Pereira Bueno Luiz Valente Marinho Nicola Papaleo
Nilo de Barros Vinhaes Norman Casari Orlando Menegaz Nastromagario Pedro C. Pereira Piero Gancia Raphael Gargiulo Ricardo Rodrigues de Moraes
Roberto Gallucci Roberto Gomez Salvador Cianciaruso Toninho Martins Victorio Azzalin Vitório Andreatta Waldemar Santilli Zoroastro Avon
Preparadores e/ou construtores:
Anísio Campos Jorge Lettry Miguel Crispim Nelson Brizzi Toni Bianco Victor Losacco    
Pioneiros:
Ângelo Juliano Benedicto Lopes Chico Landi Chico Marques Gino Bianco Hermano da Silva Ramos Irineu Correa João R. Parkinson
Manuel de Teffé Nascimento Junior Norberto Jung Sylvio A. Penteado Villafranca      

 

Página acrescentada em 28 de novembro  de 2005.
 

Roberto "Argentino" Gomez
por Paulo Roberto Peralta

Dezembro 2005

Nasceu na cidade de Buenos Aires, Argentina, no dia 20 de outubro de 1928.
Seu pai era chefe de oficina na Shell e foi por influencia dele que tomou gosto por carros. Houve um dia que seu pai foi para casa com um caminhão da empresa e Roberto, menor de idade, o “emprestou” para dar uma volta, enquanto o pai tirava uma “sesta”.
Ainda menor de idade, com 17 anos, fez uma corrida de carretera como co-piloto de Tarulli, precisou de uma autorização do pai. Trabalhou depois na oficina de outro corredor: Remo Gamalero, onde além de participar de mais duas provas como co-piloto aprendeu bastante, o suficiente para construir uma carretera com a qual fez quatro corridas e já profissional experiente abriu uma oficina de auto-elétrica e mecânica e passou a dedicar-se às corridas de "Midget", corridas em ovais de terra geralmente ao redor de campos de futebol.
Convidado por um amigo, que aqui morava, a participar da prova de inauguração de Brasília, chegou ao Brasil em 1960, com 31 anos de idade, disse ter corrido de FNM/JK e que não terminou a prova devido a uma quebra mecânica, mas não achei nenhum registro disso.
Pouco depois esse mesmo amigo o indicou para substituir Nicola Papaleo na prova “III 500 Quilômetros de Interlagos” ao volante do Biagio Especial, mas não passou dos treinos, a alavanca de cambio quebrou e após o conserto Nicola já havia feito as pazes com o pai e foi ele quem participou da corrida.
Em São Paulo, numa caminhada, conheceu acidentalmente a oficina dos irmãos Rizzardi, na Rua Conselheiro Nébias, era véspera da “V Mil Milhas Brasileiras” em 1960 e estavam terminando de pintar a carretera com que Ivo iria correr em parceria com Alfredo Santilli, enquanto observava terminarem a pintura houve um curto-circuito no painel do carro, como era profissional eletricista ofereceu-se para ajudar e fez o conserto. Tornaram-se amigos e foi convidado a assistir a prova, ficou maravilhado com o espetáculo da largada noturna. Resolveu ficar no Brasil e passou a dedicar-se à venda de automóveis.
Comprou dos Rizzardi um Volkswagen e num incidente de transito (estacionamento irregular) conheceu uma moça, professora, apaixonaram-se e em quatro meses casaram-se. Tiveram duas filhas e um filho.

Pouco após o casamento montou uma oficina na Avenida Francisco Matarazzo, depois transferida para a Rua Faustolo no bairro da Lapa, em São Paulo. Nesses anos todos frequentava Interlagos e foi fazendo amizade com vários pilotos, até começar a correr em 1965. Comprou um Simca Rallye e o equipou com equipamentos especiais para competição enviados da Argentina por seu irmão (comando, virabrequim, etc.), nessa época a Argentina era mais desenvolvida no preparo de motores de competição que o Brasil.
Disse ter adotado o numeral 28 pois ninguém o queria, era o numero que seu ídolo Celso Lara Barberis usava com frequência antes de falecer num acidente na prova “VI 500 Quilômetros de Interlagos” em 1963.
Fez toda sua carreira com automóveis Simca, até que em 1967 comprou através de um diretor (argentino também da Chrysler, que havia comprado a Simca em 1966, o protótipo Spyder, também apelidado de Ventania e por último de "Norma Bengel", pois foi essa atriz que dirigiu o carro em sua apresentação à imprensa no autódromo do Rio de Janeiro e o carro também apareceu em cenas do filme "As Cariocas" estrelado por essa mesma atriz. Esse carro foi criado no Departamento de Competição da Simca do Brasil sob supervisão de Chico Landi mas nunca havia participado de uma corrida.
“Argentino”, logo após a compra fez com ele a prova “II 100 Milhas de Interlagos” de 1967, não foi bem e reclamou que não haviam feito drenos no piso, e sendo conversível, na chuva encheu de água o que o atrapalhou muito. Em seguida se inscreveu na “IX Mil Milhas Brasileiras” mas acabou não correndo pois não fez a classificação, depois o vendeu para alguém do Paraná, de quem diz não se lembrar o nome.
Clique aqui e conheça toda a história desse carro, inclusive com cena do filme "As Cariocas" em que aparece o carro.

Simca Spyder (Norma Bengel) 1967 Simca Spyder (Norma Bengel) em sua apresentação "Caçador II" 1968 Carro Lorena semelhante ao usado em Pinhais 1969

Com Interlagos fechado para reformas em 1968, foi convidado pelo amigo Bica Votnamis para fazer dupla no “IV 1000 Km de Brasília” com o "Caçador II", construído por Bica em sua oficina na Rua Barra do Tibagi no bairro do Bom Retiro. Não concluíram a prova pois o carro bateu no muro de azulejos logo após a curva de 90 graus depois da entrada dos boxes, bateu o lado esquerdo no paredão, a quase 45 graus, ricocheteou e bateu a lateral direita também. Era Roberto quem pilotava e foi um problema na suspensão dianteira ou barra de direção que causou a escapada, pois o carro saiu quase de frente. E bater de frente naquele muro era um grande problema, por sorte não se feriu gravemente.
Em 1968 tinha uma pequena oficina na Rua Independência, no bairro do Cambuci, e visitando o Salão do Automóvel conheceu o chileno Raul Lorena que estava lançando o esportivo "Lorena". Convidado, em 1969 foi trabalhar na Lorena S/A Industrial de Veículos onde ficou apenas quatro meses como chefe de oficina. Nesse período fez uma corrida com o carro, uma das provas de inauguração do Autódromo de Pinhais (PR), só pelo circuito externo, mas teve sua corrida prejudicada pois um mecânico ao trocar as velas deixou uma delas cair e no retorno à pista o carro passou a falhar porque havia trincado a vela.
Saindo da Lorena reabriu sua oficina e no ano seguinte (1970) fez sua última corrida com o Simca nº 28, já então um carro "velho", e encerrou sua carreira de piloto aos 41 anos e 5 meses anos de idade.
Trabalhou ainda, entre 1972 e 1975, com o amigo Alfredo Santilli em sua empresa de equipamentos e depois voltou à sua oficina, onde em 1976 sentindo falta das pistas preparou um VW Passat e se inscreveu na prova “100 Milhas de Interlagos”, só que não foi bem e então encerrou definitivamente sua carreira automobilística. Continuou com sua oficina e em 1987 encerrou sua vida profissional trabalhando na fábrica de turbos Reactor.
Aposentado e viúvo, vivia no bairro do Brooklin onde veio a falecer em julho de 2010 com quase 88 anos de idade.

24 Horas de Interlagos/1966

3 Horas de Velocidade/1967 Provavelmente 1970


Participações em provas (com a colaboração de Napoleão Ribeiro)

09/09/1960 - III 500 Quilômetros de Interlagos - SP - Biagio Especial/Ford - 4.200cc - Mec. Nac. - Quebrou no treino, não participou
15/08/1965 - I GP Rodovia do Café Curitiba/Apucarana/Curitiba/PR - Simca Rallye nº 50 - 2.550cc -
27º na geral e 10º na cat. T+1.3
10/10/1965 - I Festival Interclubes - Interlagos/SP - Simca Rallye nº 28 - 2.550cc -
7º na geral 3º na cat. T+1.3
10/10/1965 - Festival de Marcas Simca/DKW - Interlagos/SP - Simca Rallye nº 28 - 2.550cc -
1º na geral e 1º na cat. Simca
24/10/1965 - IV 3 Horas de Velocidade - Interlagos/SP - Simca Rallye nº 38 - 2.550cc -
19º na geral e 8º T+1.3
27/11/1965 - VII Mil Milhas Brasileiras - Interlagos/SP - Com Rui Santiago - Simca Rallye nº 82 - 2.550cc -
30º na geral e 16º na cat. TFL
20/03/1966 - Prêmio APVC G III - Interlagos/SP - Simca Rallye nº 82 - 2.550cc -
10º na geral e 1º na cat. T+1.3
21/04/1966 - III Etapa do Campeonato Paulista G III - Interlagos/SP - Simca Rallye nº 82 - 2.550cc -
4º na geral e 2º na cat. T+1.3
21/04/1966 - III Etapa do Campeonato Paulista TFL - Interlagos/SP - Simca Rallye nº 61 - 2.550cc -
5º lugar
28/05/1966 - III 24 Horas de Interlagos/SP - Com Ugo Galina - Simca Rallye nº 28 - 2.550cc -
8º na geral e 4º na cat. T+1.3
12/06/1966 - GP IV Aniversário APVC G III - Interlagos/SP - Simca Rallye nº 28 - 2.550cc -
12º na geral e 3º na cat. T+1.3
12/06/1966 - GP IV Aniversário APVC TFL - Interlagos/SP - Simca Rallye nº 28 - 2.550cc -
6º lugar
03/07/1966 - Prêmio Aniversário ACESP Turismo G V - Interlagos/SP - Simca Rallye nº 28 - 2.550cc -
4º na geral e 4º na cat. T+1.3
04/09/1966 - V 3 Horas de Velocidade - Interlagos/SP - Simca Rallye nº 28 - 2.550cc -
5º na geral e 1º na cat. T+1.3
07/09/1966 - IX 500 Km de Interlagos/SP - Simca Rallye nº 28 - 2.550cc -
18º lugar e 4º na cat. T+1.3
02/10/1966 - Prêmio Faria Lima - Interlagos/SP - Simca Rallye nº 28 - 2.550cc -
7º na geral e 3º na cat. T+1.3
16/10/1966 - IV Etapa do Campeonato Paulista TFL - Interlagos/SP - Simca Rallye nº 28 - 2.550cc -
4º lugar
16/10/1966 - IV Etapa do Campeonato Paulista G III - Interlagos/SP - Simca Rallye nº 28 - 2.550cc -
4º na geral e 1º na cat. T+1.3
19/11/1966 - VIII Mil Milhas Brasileiras - Interlagos/SP - Com Romeo Partezan - Simca Rallye nº 28 - 2.550cc -
20º na geral e 8º na cat. TFL
11/12/1966 - 150 Milhas de Interlagos/SP - Simca Rallye nº 28 - 2.550cc -
9º na geral e 4º na cat. TFL
18/12/1966 - II GP Rodovia do Café - Curitiba/Londrina/Curitiba/PR - Simca Rallye nº 28 - 2.550cc -
5º na geral e 3º na cat. TFL
19/03/1967 - IV 12 Horas de Interlagos/SP - Com Romeo Partezan - Simca Rallye nº 28 - 2.550cc -
7º na geral e 2º na cat. T+1.3
11/06/1967 - III 6 Horas de Interlagos/SP - Com Expedito Marazzi - Simca Rallye nº 28 - 2.550cc -
11º na geral e 9º na cat. TFL
27/08/1967 - VI 3 Horas de Velocidade - Interlagos/SP - Com Expedito Marazzi - Simca Rallye nº 28 - 2.550cc -
6º na geral e 5º na cat. TE
01/10/1967 - II 100 Milhas de Interlagos/SP - Simca "Norma Bengel" nº 28 - 2.550cc -
11º na geral e 6º na cat. TFL
14/04/1968 - IV 1000 Km de Brasília/DF - Eixo Monumental - Com Bica Votnamis - Caçador II nº 34 - 6.997cc -
  PT Quebra
23/03/1969 - Presidente Artur da Costa e Silva - Autódromo de Pinhais/PR - Lorena VW nº 28 - 1.584cc -
8º na geral e 2º na cat. PT
22/03/1970 - Prêmio Tufic Scaff - Interlagos/SP - Simca Rallye nº 28 - 2.550cc -
8º na geral e 4º na cat. D3


VOLTAR AO TOPO DA PÁGINA
ou
VOLTAR À PÁGINA INICIAL